Rússia e EUA tentam salvar cessar-fogo e processo de paz na Síria

Viena, 17 mai (EFE).- A comunidade internacional, liderada por Rússia e Estados Unidos, se reúne nesta terça-feira em Viena, na Áustria, para tentar salvar o instável cessar-fogo na Síria e relançar as negociações para uma solução para acabar com a guerra através da criação de um governo de transição que assegure a saída do presidente Bashar al Assad.

"Hoje tentamos criar as condições para que o cessar-fogo pactuado seja cumprido de melhor maneira, não só na cidade de Aleppo, mas também em seus arredores", afirmou o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steimeier, em sua chegada ao encontro.

Steimeier disse à imprensa que nos últimos três meses, desde que se estabeleceu o cessar-fogo, foram conseguidos avanços e uma redução dos combates em algumas regiões do país, nas quais os sírios puderam inclusive "voltar para casa".

Após destacar que o encontro de hoje é "importante e urgente", Steinmeier reconheceu que ainda há "muitas sombras" no processo.

Nesse sentido, insistiu na necessidade de reativação do processo político e das negociações que aconteciam em Genebra, na Suíça.

"As negociações em Genebra estão interrompidas neste momento e naturalmente estamos tentando, mediante a melhoria das condições do cessar-fogo e da assistência humanitária, convencer a oposição para que negocie em Genebra com o regime uma mudança política", resumiu Steinmeier.

Essa mudança, segundo o ministro alemão, é necessária "porque com Assad não é possível, no longo prazo, um futuro para o país".

A reunião de hoje é presidida pelo secretário de Estado dos EUA, John Kerry; pelo ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov; e pelo emissário especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.

Também participam do encontro vários países vizinhos da Síria e potências regionais, como a Arábia Saudita e o Irã, cuja inimizade também dificulta o processo de paz na Síria.

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Javad Zarif, afirmou em sua chegada a Viena que a "política" é a única saída para o conflito e que para avançar nesse caminho é preciso "um cessar-fogo" que "exclua os terroristas".

"Infelizmente, parece que alguns insistem em uma solução militar, uma ilusão que tem que chegar ao fim para que se possa buscar uma solução política", disse o ministro, citado pelos veículos de imprensa iranianos.

Além disso, Zarif considerou a conferência em Viena como uma "oportunidade" para enfatizar a necessidade de que se produza no país o "respeito integral" ao cessar-fogo e que haja uma atenção especial ao "perigo dos terroristas que ameaçam a Síria, toda a região e a comunidade internacional".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos