Embaixada dos EUA na Venezuela cancela entrevistas para vistos

Caracas, 18 mai (EFE).- A Embaixada dos Estados Unidos na Venezuela, com sede em Caracas, informou nesta quarta-feira que "não disporá" de novas entrevistas para os solicitantes de vistos de negócios e turismo, e que terá um número limitado atendimentos para investidores, estudantes ou com base em algum pedido.

A medida corresponde à limitação de profissionais na embaixada depois que a Chancelaria venezuelana se negou a emitir vistos para seu pessoal, segundo explica a sede diplomática em comunicado divulgado em seu site oficial.

"A Chancelaria da Venezuela se negou durante vários meses a emitir vistos para o pessoal da Embaixada dos Estados Unidos, o que resultou a falta de pessoal em toda a Embaixada e impossibilitou a visita de técnicos encarregados da manutenção, atualização e reparação de nossos sistemas de computação", diz o relatório.

O comunicado informa que quando a Chancelaria venezuelana "retomar a emissão de vistos para o pessoal diplomático americano", a sede diplomática americana retomará seus serviços com normalidade.

Além da suspensão temporária de entrevistas para os vistos de negócios e turismo (B-1/B-2) as solicitações de entrevistas para vistos de investidores, estudantes ou com base em algum pedido terão "tempos de espera superiores aos conhecidos anteriormente".

No dia 3 de maio, a chanceler venezuelana, Delcy Rodríguez, denunciou que a embaixada dos EUA na Venezuela negou o visto a um grupo de funcionários venezuelanos que se dispunha a viajar ao território americano para participar de um evento na sede da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Na opinião de Rodríguez, os EUA só concedem vistos "a opositores que permanentemente conspiram para derrubar o governo constitucional do presidente Nicolás Maduro, enquanto negam os vistos que legitimamente devem ser atribuídos" a funcionários venezuelanos.

Diversos agentes do governo venezuelano acusaram o "império americano" de uma suposta "conspiração" contra a Venezuela em aliança com os opositores de Nicolás Maduro e, anteriormente, de seu mentor Hugo Chávez.

As relações entre EUA e Venezuela ficaram tensas desde a chegada de Chávez ao poder, e desde 2010 as delegações dos EUA em Caracas e da Venezuela não contam com embaixadores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos