Parlamento da Macedônia anula convocação de eleições antecipadas em junho

Skopje, 18 mai (EFE).- O parlamento da Macedônia anulou nesta quarta-feira, em uma sessão extraordinária, a convocação de eleições antecipadas de 5 de junho e aceitou as renúncias dos ministros do principal partido de oposição, o social-democrata SDSM.

Isto significa que a coalizão conservadora VMRO-DPMNE, do ex-primeiro-ministro Nikola Gruevski, volta ao poder apoiado pelo partido da minoria albanesa BDI.

O Tribunal Constitucional macedônio havia decidido hoje, por unanimidade, suspender pelo menos até a semana que vem a campanha eleitoral do pleito enquanto estudava se a dissolução dos cortes foi constitucional após a apresentação de um recurso pelo BDI.

O SDSM, que tinha boicotado junto com dois dos principais partidos do país as eleições, deixou o comando das pastas de Interior e Trabalho e obrigou a renúncia de seus secretários de Estado nos ministérios de Finanças, Agricultura e Administrações Públicas. Todos foram substituídos imediatamente por membros da aliança liderada pelos conservadores.

"Esta radicalização da situação somente interessa ao VMRO e ao BDI", acusou em uma tensa sessão parlamentar o coordenador do SDSM, Goran Sugarevski.

Um parlamentar do BDI, Talat Xhaferi, criticou o SDSM por "não saber o que quer", já que "primeiro queria eleições, e depois que fossem canceladas", alegou.

A Macedônia vive há mais de um ano uma crise política que começou com a revelação de um escândalo de escutas ilegais e que, após um pacto político apoiado por União Europeia (UE) e Estados Unidos, deveria concluir com a realização de eleições.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos