Turquia chama enviado da UE para esclarecer comentários criticados por Ancara

Bruxelas, 19 mai (EFE).- O chefe da delegação da União Europeia (UE) na Turquia, Hansjörg Haber, foi chamado pelo Ministério turco de Relações Exteriores para esclarecer comentários sobre o acordo entre os vinte E oito e Ancara que foram criticados pelo governo do presidente Recep Tayyip Erdogan.

"O chefe da delegação da UE Hansjörg Haber foi chamado ao Ministério das Relações Exteriores, onde explicou a bem conhecida posição da União Europeia sobre o acordo e esclareceu seus comentários", explicou a porta-voz comunitária Maja Kocijancic, sem dar mais detalhes.

Segundo o jornal "Hurriyet", recolhido por outros veículos de imprensa, Haber mudou um antigo provérbio germânico para descrever como o acordo entre a UE e Turquia tinha começado bem, mas acabou tendo problemas.

"Temos um provérbio: 'começar como um turco e terminar como um alemão', mas o contrário ocorreu neste caso. (O acordo) começou como um alemão e está terminando como um turco", teria dito o chefe da delegação da UE na Turquia a jornalistas na sexta-feira passada.

O ministro turco para Assuntos da UE, Volkan Bozkir, citou Haber para que explicasse o que queria dizer, acrescentando que seus comentários não eram os apropriados para um embaixador, de acordo com a imprensa internacional, que afirma que o enviado comunitário foi informado que suas declarações tinham causado "indignação".

Os líderes comunitários e o então primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, acordaram em 18 de março cooperar para acabar com a incessante chegada de refugiados e imigrantes irregulares às ilhas gregas desde a Turquia, em troca de até 6 bilhões de euros, antecipar no final de junho a liberalização de vistos e acelerar a adesão do país à UE.

A UE celebrou o bom começo do acordo e as primeiras devoluções desde Grécia à Turquia e reassentamento de sírios, mas a renúncia de Davutoglu lançou uma sombra de dúvida sobre o cumprimento do acordo, que reforçaram pouco depois as declarações do presidente turco Recep Tayyip Erdogan e sua recusa a modificar a Lei Antiterrorista.

Sua recusa para alinhá-la com os padrões europeus e garantir que não possa ser aplicada a jornalistas ou acadêmicos piorou as negociações com Bruxelas, que reivindica esta mudança para avançar para a isenção de vistos para cidadãos turcos, parte do pacto para conter a chegada de refugiados na Europa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos