Estado Islâmico reivindica atentados em Áden onde 41 militares morreram

Sana, 23 mai (EFE).- O grupo jihadista Estado Islâmico assumiu nesta segunda-feira a autoria do duplo atentado na cidade de Áden, localizada no sul do Iêmem, onde morreram 41 militares do Exército e pelo menos outras 36 pessoas ficaram feridas.

No comunicado divulgado, cuja autenticidade não pôde ser verificada pela Agência Efe, os jihadistas assumiram a autoria e identificam o terrorista Abu Ali al Adani como um dos responsáveis.

"Foi uma operação de segurança bem-sucedida graças a Deus, o irmão mártir, Ali al Adani se dirigiu para a casa do líder do quartel de Badr,... onde nosso cavaleiro detonou a bomba", dizia a nota do EI.

"Uma bomba explodiu na porta do quartel de Badr, o que causou a morte e ferimentos a diversos recrutas apóstatas", explicou o texto.

De acordo com fontes, um dos atentados aconteceu contra a antiga Delegacia de Polícia de Badr, que agora sedia a Brigada 39, comandada pelo general Abdallah al Subehi, e está situada no bairro de Jur Maksar, próximo ao aeroporto.

Este ataque foi realizado com uma bomba colocada em frente ao edifício, garantiu a fonte.

Minutos depois, a segunda explosão, causada por homem-bomba, surpreendeu outro grupo de militares que estava em frente à residência do general Abdallah al Subehi, também localizada no bairro de Jur Maksar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos