Poroshenko enumera em mais de 10 mik os mortos no leste da Ucrânia

Moscou, 23 mai (EFE).- O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, cifrou nesta segunda-feira em mais de 10 mil os mortos no conflito armado no leste do país, pelo qual responsabilizou a Rússia, e elevou o número de feridos para mais de 20 mil pessoas.

"Já são mais de dois anos que meu país é alvo da agressão russa. As consequências humanitárias desta agressão são mais de 10 mil ucranianos mortos, mais de 20 mil feridos e cerca de 1,8 milhão de deslocados", disse Poroshenko, citado no site da presidência ucraniana.

Enquanto isso, segundo os últimos dados da ONU, mais de 9 mil pessoas, entre combatentes e civis, morreram no leste da Ucrânia nos pouco mais de dois anos que dura o conflito que explodiu após a rebelião pró-russa nas regiões orientais de Donetsk e Lugansk.

Tanto Kiev como o Ocidente acusam a Rússia de apoiar com armas e tropas os separatistas pró-Rússia.

Moscou, por sua vez, nega qualquer envolvimento direto no conflito e reconhece apenas seu apoio às aspirações dos rebeldes de conseguir uma ampla autonomia no marco de um Estado federal.

Mais de um ano após a assinatura dos Acordos de Minsk para a regulação pacífica do conflito, Kiev e os separatistas foram incapazes de manter o cessar-fogo apesar das várias tréguas adotadas uma após outra no marco do chamado Grupo de Contato para a Ucrânia, único fórum de diálogo no qual os dois grupo se sentam à mesma mesa.

Também não há acordo com relação à convocação de eleições locais em 2016 para as zonas controladas pelos pró-Rússia.

A Rússia e os rebeldes acusam a Ucrânia de se negar a aplicar a parte política dos acordos: reforma constitucional, descentralização, anistia e concessão de um status especial às zonas controladas pelos separatistas.

Enquanto isso, Kiev se nega a reconhecer a legitimidade das autoridades rebeldes e exige de Moscou que retire seus soldados do leste da Ucrânia, assim como que entregue aos militares ucranianos o controle de toda a fronteira entre ambos países.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos