Pelo menos 333 civis morreram em um mês por violência na cidade de Aleppo

Beirute, 24 mai (EFE).- Pelo menos 333 civis morreram, entre os quais 74 eram menores de idade, no último mês pelas hostilidades na cidade de Aleppo, a maior do norte da Síria, segundo os dados divulgados nesta terça-feira pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Dessas vítimas mortais, pelo menos 147 perderam a vida por bombardeios de aviões de guerra contra bairros sob o controle de facções opositoras, como Al Kalasa, Al Mogair, Al Firdús, Al Sajur, Al Muasalat, Al Marya, Bab al Neirab, Al Ashrafie e Beni Zaid.

Outros 162 civis morreram pelo disparo de foguetes por parte de grupos islâmicos contra distritos em poder das autoridades como Yamiat al Zahra, Al Midan, Aleppo Nova, Seif Al Daula, Al-Khalediya, Al Suleimaniya e Al Shahba.

Além disso, 11 pessoas morreram pela artilharia do regime sírio e uma, por disparos de um franco-atirador na zona de Al Zabdie+, em mãos dos rebeldes.

A ONG acrescentou que quatro civis morreram pelo lançamento de foguetes por parte de organizações armadas islâmicas contra a área de Al Sheikh Maqsud, de maioria curda e dominada pelas Forças da Síria Democrática (FSD), uma coalizão armada curdo-árabe.

Por sua vez, franco-atiradores das FSD assassinaram duas pessoas no caminho de Castelo e no bairro de Helik em Aleppo.

A estas vítimas se somam seis pessoas, entre elas três menores, mortas pela explosão em uma fábrica de munição como consequência do impacto de bombas no distrito de Al Sukari.

No começo de maio, Aleppo foi palco de uma trégua de uma semana, estipulada pelos EUA e Rússia, para diminuir os níveis de violência das duas semanas anteriores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos