Presidente afegão pede que talibãs deixem as armas com novo líder

Cabul, 25 mai (EFE).- O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, pediu que os talibãs deixem as armas e retomem "uma vida normal e em paz" após o anúncio nesta quarta-feira da nomeação do mulá Haibatullah como novo líder do grupo insurgente em substituição do falecido mulá Mansur.

"Os grupos talibãs têm uma nova oportunidade de acabar e renunciar à violência, deixar as armas e retomar uma vida normal e em paz", indicou o presidente Gani em sua conta no Twitter.

"De outra maneira, terão o mesmo destino que seus líderes", acrescentou.

O chefe do Executivo afegão, Abdullah Abdullah, também convidou Haibatullah a se envolver na paz, através dessa rede social.

"A solução pacífica é a única opção para os talibãs ou sua nova direção encarará o mesmo destino" que Mansur, acrescentou.

O vice-porta-voz de Gani, Shah Hussain Murtazavi, indicou à Agência Efe que "o governo quer que os talibãs aproveitem esta oportunidade para pôr final à guerra e retornar à vida em paz".

Nesse sentido, afirmou que as forças de segurança afegãs "continuarão defendendo com coragem a seu povo, o país e a Constituição contra os que continuam a batalha".

Os talibãs confirmaram hoje a morte de teu líder, o mulá Mansur, em um bombardeio de um drone americano no sábado e anunciaram a designação do mulá Maulawi Haibatullah, segundo braço direito do anterior chefe dos insurgentes, como seu sucessor.

Haibatullah, um clérigo conhecedor dos textos sagrados que foi o principal responsável pelo sistema judiciário talibã, é o terceiro líder que do grupo fundado pelo mulá Omar, cuja morte em 2013 foi anunciada em julho do ano passado pelo governo afegão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos