Presidente taiuanesa pede militares para "defender democracia" frente a China

Taipé, 29 mai (EFE).- A presidente de Taiwan, Tsai Ing-wen, pediu neste domingo aos militares do território para "impulsionar a reforma", "defender a pátria" e "proteger a democracia e liberdade", durante uma visita a uma base militar em Hualien, ao leste da ilha.

Dainte a ameaça bélica da China, que não renunciou ao uso da força para conseguir a unificação com a ilha, Tsai prometeu "recursos suficientes para apoiar" o avanço dos militares.

A presidente tomou posse no di 20 de maio como primeira mulher no comando do território e não consentiu declarar que Taiwan é parte da China, como lhe pedem as autoridades comunistas chinesas, o que, segundo especialistas, aumentou a tensão no estreito de Formosa.

Durante a campanha eleitoral, Tsai prometeu intensificar a pesquisa e desenvolvimento da indústria militar e fabricar um maior número de armamento avançado na ilha, com tecnologia própria e importada.

Taiwan e China mantêm uma paz armada, com um crescente desequilíbrio no poderio militar a favor da China, mas com promessas de apoio americano a Taiwan em caso de ataque chinês.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos