Líderes da UEE debatem sobre seu futuro e as relações internacionais

Astana, 31 mai (EFE).- Os presidentes dos cinco países-membros da União Econômica Euroasiática (UEE) - Armênia, Belarus, Cazaquistão, Quirguistão e Rússia - se reuniram nesta terça-feira em Astana para debater os planos de futuro e as relações internacionais desta organização.

O presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, ressaltou no transcurso da cúpula que a UEE deve considerar a possibilidade de estabelecer relações comerciais e econômicas com a União Europeia, a Organização de Cooperação de Xangai e a Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean).

Nazarbayev lembrou que a UEE deve aprofundar suas relações econômicas com outros países e com grandes organizações internacionais.

O presidente bielorrusso, Aleksandr Lukashenko, afirmou por sua vez que o primeiro passo da União deve ser a criação de um mercado comum altamente desenvolvido para poder, posteriormente, participar com confiança do diálogo com parceiros externos.

"Temos que ser fortes por nós mesmos, de todas as formas possíveis, para fortalecer nossa aliança. Então será mais fácil de realizar um diálogo tanto com a União Europeia, como com a China e os demais", explicou o dirigente.

Mesmo assim, Lukashenko criticou o funcionamento da UEE, pois, segundo disse, "infelizmente os desenvolvimentos de cooperação não saíram como planejamos. Muitos problemas ainda permanecem", ressaltou o líder, que acrescentou que a União deve aplicar os desenvolvimentos teóricos à esfera prática.

De acordo com Lukashenko, "a iniciativa de desenvolver um mecanismo de funcionamento do CEE para proteger o mercado frente a terceiros países não foi implementado".

De fato, a Rússia fechou unilateralmente seu território para o trânsito de mercadorias procedentes de Europa e Turquia ao Cazaquistão, em resposta às sanções da UE.

Por sua vez, o presidente russo, Vladimir Putin, se mostrou convicto de que a integração econômica na UEE, que tinha registrado no passado altos índices de crescimento, permitirá ao bloco superar todas as dificuldades.

"A respeito, não esperamos milagres, mas, sem dúvida alguma, isto nos ajudará a superar as atuais dificuldades. Não tenho a menor dúvida", afirmou.

Putin também disse que a Rússia apoia a iniciativa cazaque de aprofundar a cooperação entre a UEE e outras organizações, em particular a Organização de Cooperação de Xangai e a Asean.

"O Cazaquistão é para nós um parceiro muito próximo e nosso aliado mais confiável. Temos relações econômicas muito boas", declarou Putin em reunião prévia com Nazarbayev.

Além disso, o presidente russo defendeu a criação de um mercado comum de eletricidade que deve entrar em funcionamento em 2019.

"De acordo com especialistas, a implementação desta missão vai representar um crescimento adicional do PIB de US$ 7 bilhões aos países-membros", comentou.

Putin anunciou ainda o início das negociações para a abertura de um mercado comum dos hidrocarbonetos para 2025 e propôs a capital russa como sede para a realização da próxima reunião da UEE, que acontecerá em dezembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos