Mauricio Macri passa por exames após sofrer "leve arritmia"

(Atualiza com dados oficiais).

Buenos Aires, 3 jun (EFE).- O presidente da Argentina, Mauricio Macri, sofreu na tarde desta sexta-feira uma "leve arritmia que não lhe impediu de continuar com seu trabalho", e por isso foi submetido a uma "revisão" em uma clínica próxima a sua residência, informaram fontes oficiais.

Em comunicado, a presidência da República detalhou que, por volta das 15h (horário local, mesma hora em Brasília), o presidente sentiu o mal-estar, mas não isso lhe impediu de "manter a agenda de atividades previstas na residência oficial de Olivos".

Por esse motivo, apenas após o fim das atividades, "a Unidade Médica Presidencial decidiu pela realização de uma revisão na Clínica Olivos", na província de Buenos Aires.

Finalizados os exames, "e ao constatar-se que a arritmia foi revertida", a presidência afirmou que o chefe de Estado permanecerá na clínica "algumas horas mais por precaução, para depois retornar a seu domicílio".

Em declarações à emissora "TN", o porta-voz presidencial, Ivan Pavlovsky, disse que o chefe de Estado "está bem" e relatou que, depois de Macri ter sofrido mal-estar pela tarde, o médico presidencial de plantão diagnosticou "uma pequena arritmia", após o que o presidente garantiu que se "sentia bem e seguiu com sua agenda".

No entanto, com a persistência da arritmia, Macri foi levado à clínica e ali se decidiu pela realização de um "eletrocardiograma e uma ultrassonografia Doppler", para o que foi sedado.

Neste momento, a equipe médica está esperando que Macri acorde para determinar se pode voltar para casa.

"Estamos esperando que o presidente acorde e os médicos tomarão a decisão", relatou Pavlovsky.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos