ONG pede à Turquia que acolha 100 mil sírios presos entre combates

Barcelona, 3 jun (EFE).- A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) pediu nesta sexta-feira ao governo da Turquia que dê refúgio aos 100 mil sírios que estão presos no distrito de Azaz, no norte da Síria, em meio aos combates entre a linha de frente do Estado Islâmico e a fronteira turca.

"Esta população deslocada necessita poder ter um refúgio seguro na Turquia", afirmou a ONG Médicos Sem Fronteiras em comunicado.

A ONG lembrou à Europa que "é preciso respeitar seu compromisso moral e legal de garantir asilo àqueles que fogem da guerra síria".

"Hoje, com os combates a poucos quilômetros de distância, a população está em iminente perigo de ficar presa entre os enfrentamentos e cair sob o controle do Estado Islâmico", explicou Yahia Jarrad, supervisor de Enfermaria no hospital da MSF de Al Salama, em Azaz.

"Estamos tentando squecer que perdemos nossos lares, mas o certo é que estamos presos em uma zona totalmente isolada, não temos para onde ir", disse Jarrad.

Segundo a MSF, milhares de pessoas se encontram neste momente rodeadas pelo Estado Islâmico na cidade de Maré.

"O governo da Turquia e o povo turco estão fazendo um imenso esforço por ajudar os refugiados sírios, acolhendo já quase 3 milhões de pessoas", indicou o espanhol Pablo Marco, responsável de Operações da MSF para a Síria.

"No entanto, hoje em dia, a população de Azaz só pode contar com eles. Pedimos à Turquia que mostre esta generosidade mais uma vez e abra suas fronteiras às pessoas presas em Azaz", disse Marco.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos