Ataques jihadistas contra Aleppo deixam mais de 40 mortos, diz comando russo

Moscou, 4 jun (EFE).- Mais de 40 pessoas, entre civis, policiais e militares, morreram na ofensiva lançada por grupos jihadistas contra a cidade síria de Aleppo, informou o comando militar russo neste sábado.

"Morreram mais de 40 civis, policiais e soldados, e outros 100 ficaram feridos", revelou um documento do comando, que acrescentou que várias casas e uma delegacia ficaram destruídas no bairro de Sheikh Maksud.

A Frente al Nusra atacou com plataformas de lançamento de mísseis, artilharia e morteiros o aeroporto e vários bairros residenciais controlados pelas forças governamentais, além da cidade de Handrat, libertada pelo Exército sírio em abril. Além disso, os jihadistas bombardearam as posições das milícias curdas, que tentam expulsar os terroristas da cidade, segundo o comando citado pela imprensa local.

O comando militar russo na Síria advertiu hoje que o Estado Islâmico e a Frente al Nusra tinham aproveitado a trégua para se reagrupar em Aleppo.

"Os bairros residenciais, os edifícios administrativos e as posições das forças governamentais e dos rebeldes são alvos de bombardeios. Os ataques têm caráter intensivo", destacou o comando.

Segundo os militares, esses grupos jihadistas assumiram, desde que a trégua entrou em vigor no final de fevereiro, posições próximas às das milícias opositoras, com o objetivo de evitar os bombardeios da aviação russa.

O ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, manteve hoje a terceira conversa telefônica da semana com o secretário de Estado americano, John Kerry, na qual destacou a necessidade de que a oposição síria abandone com urgência as posições da Frente al Nusra. Esta semana termina o prazo para que a oposição síria se some à trégua em vigor desde o final de fevereiro, caso contrário suas posições se transformarão em alvos legítimos da aviação russa, segundo Lavrov.

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, propôs aos Estados Unidos bombardear conjuntamente as posições dos jihadistas na Síria. Caso contrário, garantiu que Moscou se reserva o direito de lançar uma ofensiva "unilateral" contra os grupos armados que não acatem o cessar-fogo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos