Dutertese festeja em seu reduto eleitoral antes de assumir presidência

Helen Cook.

Manila, 4 jun (EFE).- Os moradores da cidade de Davao, onde o novo presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, foi prefeito por mais de 20 anos, saíram às ruas neste sábado para comemorar a vitória do político nas urnas conseguida em maio.

Aproximadamente, 300 mil pessoas, conforme estimativas policiais, participaram da homenagem a Duterte, que contou com a presença de cerca de 600 artistas. A festa, intitulada "One Love, One Nation", teve danças com cores e fogo, percussões fortes, cantores de rap famosos, malabaristas espetaculares e a apresentação de comediantes que fizeram a alegria do público desde o começo da tarde.

Apesar do calor, segundo a emissora "GMA", desde o início da manhã quase 10 mil pessoas se amontoavam nos arredores do Davao Crocodile Park para tentar entrar no evento. Poucas horas após o início da festa, a Polícia de Davao informou que o público já era o triplo do esperado, calculado incialmente em 100 mil.

Duterte, que tomará posse como presidente do país no próximo dia 30, chegou à festa às 20h30 (horário local), com duas horas e meia de atraso. Em discurso, falou sobre a luta contra a corrupção, uma das promessas que o fizeram vencer as eleições.

"Temos muita miséria nas Filipinas, mas teria dinheiro suficiente se gastássemos corretamente", disse Duterte, que fez ameaças aos traficantes do país e ofereceu 5 milhões de pesos (US$ 100 mil) por cada traficante capturado.

Alguns dos membros do gabinete e importantes personalidades do país foram ao espetáculo para mostrar apoio ao futuro líder. Por conta disso, a Polícia de Davao aumentou as medidas de segurança no local do evento. Ao todo, 6.500 agentes de segurança foram enviados à região - entre eles 4 mil policiais- , e o espaço aéreo ao redor do parque foi fechado para evitar um atentado terrorista. A maior parte dos veículos de comunicação, no entanto, teve o acesso negado de última hora, depois que Duterte anunciou um boicote aos jornalistas após os fortes embates com a imprensa em seus últimos comparecimentos.

"Digong", como ele é chamado nas Filipinas, é o primeiro presidente de Mindanao, a região sul das Filipinas, e ganhou a confiança de muitos eleitores após conseguir que Davao passasse de cidade perigosa a uma das mais seguras do país.

"Para os cidadãos esta festa tem um sabor agridoce porque estão se despedindo de Duterte", disse a um jornal local Rappler Wacky Masbad, organizador do evento.

Nos últimos meses, Duterte se transformou em uma das figuras mais populares das Filipinas ao se distanciar da elite política e destacar sua origem humilde. Além disso, prometeu acabar com a criminalidade e a corrupção no país em seis meses.

Nas eleições de 9 de maio, nas quais 54 milhões de filipinos estavam habilitados a votar, ele conseguiu 39% dos votos, superando com folga os demais candidatos. Apesar disso, é criticado por várias organizações defensoras dos direitos humanos, que o acusam de defender a execução extrajudicial de ladrões e traficantes de drogas para reduzir os índices de criminalidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos