Muhammad Ali morre aos 74 anos, confirma porta-voz da família

Houston (EUA), 3 jun (EFE).- O lendário ex-campeão dos pesos pesados e ícone social Muhammad Ali morreu aos 74 anos por causa de problemas respiratórios, de acordo com um comunicado emitido na noite desta sexta-feira pelo porta-voz oficial da família.

Ali tinha sido hospitalizado na região de Phoenix nesta semana com problemas respiratórios, embora tenha sido dito que sua condição era "satisfatória".

O Departamento de Polícia de Paradise Valley informou à emissora "ABC News" que um telefonema dos serviços médicos de emergência foi feito do endereço de Ali na área de Phoenix na terça-feira, e o Departamento de Bombeiros de Phoenix confirmou que respondeu a um pedido de ajuda para um homem de 74 anos de idade, com problemas respiratórios.

Aposentado do boxe desde 1981, Ali lutava contra o mal de Parkinson há anos.

O lendário pugilista também tinha sido hospitalizado várias vezes nos últimos anos, incluindo no começo de 2015, devido a uma infecção urinária severa, depois que inicialmente foi diagnosticado com pneumonia.

Ali se mostrava cada vez mais frágil em suas aparições públicas, a última ocorrida no dia 9 de abril quando usou óculos escuros e estava inclinado no jantar da noite anual de Celebridades do Boxe, realizado em Phoenix e que arrecada fundos para o tratamento do mal de Parkinson.

No entanto, levava uma vida tranquila na área de Phoenix com sua quarta esposa, Lonnie, com quem se casou em 1986.

A morte de Ali repercute muito mais do que no mundo do boxe, pois também ele era um ícone da sociedade americana.

Ali foi uma das pessoas mais reconhecidas no mundo por suas ações dentro e fora do ringue. Sua postura sobre o serviço militar e a conversão ao Islã transpôs as linhas raciais e polarizou a América do Norte.

No entanto, mais tarde se tornou um símbolo que unificou o povo com suas mensagens de liberdade, paz e igualdade.

"Sua contribuição a este país e ao mundo serão lembradas pelas próximas gerações", disse Bob Arum, que promoveu várias lutas de Ali. "Significou tanto para muitas pessoas ao redor do mundo, teve um efeito tão transformador na sociedade americana e um impacto tão grande no mundo devido a seu espírito, que será recordada como uma das pessoas ícones da época".

O ala LeBron James, do Cleveland Cavaliers, declarou que Ali era o maior de todos os tempos, não só pelo que fez no ringue, que definiu como "incrível", mas pelo que realizou como um líder maravilhoso a favor dos mais necessitados.

"Junto com Jim Brown e Oscar Robertson, Lew Alcindor, obviamente, que se tornou em Kareem (Abdul-Jabbar), Bill Russell, Jackie Robinson todos eles se levantaram a favor das causas justas e de igualdade para todos", destacou LeBron. "Ele é parte da razão pela qual os afro-americanos hoje podem fazer o que fazem no mundo do esporte. Somos livres".

Muhammad Ali derrotou Sonny Liston para ficar com o título dos pesos pesados em maio de 1965 e a partir daquele momento começou uma carreira única e histórica.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos