Hamas garante que "Intifada Al Quds" continua

Gaza, 9 jun (EFE).- O Hamas, que governa a Faixa de Gaza, assegurou nesta quinta-feira que o ataque de ontem à noite em Tel Aviv significa que "continua a Intifada Al Quds", o nome dado pelo movimento islamita à onda de violência que começou em outubro de 2015.

"Esta operação foi realizada após certo período de calma, no qual alguns pensaram que a Intifada Al Quds tinha sido interrompida devido às detenções e à cooperação de segurança (entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina), mas isso demonstra que ela continua", afirmou Mushir Al-Masri, membro destacado do movimento islamita palestino.

Ontem à noite, pouco depois do ataque, o Hamas e outros grupos palestinos festejaram a ação violenta, mas nenhum assumiu sua autoria.

Os serviços de segurança de Israel acreditam que os dois autores, da aldeia de Yatta, na Cisjordânia ocupada, agiram sozinhos, como a imensa maioria dos agressores da onda de violência iniciada em outubro e que causou a morte de 212 palestinos, 30 israelenses e três estrangeiros, sem contar os da noite de ontem.

Nas últimas semanas, os atos de violência tinham diminuído.

Masri declarou aos jornalistas que o ataque é uma resposta aos "crimes de Israel na Cisjordânia e em Gaza" e garantiu que a Intifada "semeará o horror e o medo nos corações dos sionistas".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos