CNE venezuelano diz que validação de assinaturas para referendo começa dia 20

Caracas, 9 jun (EFE).- O reitor do Conselho Nacional Eleitoral da Venezuela (CNE), Luis Emilio Rondón, disse nesta quinta-feira que a etapa de validação de mais de 1,3 milhão de assinaturas de pessoas que pedem a ativação do referendo para revogar o mandato do presidente Nicolás Maduro será iniciada no próximo dia 20.

"De segunda-feira, dia 20, até sexta-feira, 24 de junho, será o período da fase de validação", disse Rondón aos jornalistas na sede principal do CNE em Caracas, um anúncio que era esperado e exigido através de marchas e protestos pela aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) há mais de uma semana.

Rondón, o único dos cinco reitores que se identifica com a oposição, indicou que 1.352.000 pessoas teriam que validar suas assinaturas nesse período, depois que suas rubricas passarem por todas as provas do Poder Eleitoral para verificar sua autenticidade.

O reitor disse que a presidente do CNE, Tibisay Lucena, oferecerá amanhã a informação formal do início desta etapa de validação, que abriria as portas para uma nova fase, na qual a oposição deverá obter 4 milhões de assinaturas.

Para a fase que se inicia no próximo dia 20, os que contribuíram com sua assinatura devem comparecer aos centros designados pelo CNE para confirmar, com suas impressões digitais, que apoiam a ativação do referendo revogatório.

No dia 2 de maio, a MUD entregou ao Poder Eleitoral mais de 1,8 milhão de assinaturas para cumprir com um requisito no qual eram necessárias menos de 200 mil rubricas.

A oposição afirmou então que o grande excedente de assinaturas se devia a que, com segurança, o CNE, cumprindo supostas ordens do governo, desprezaria muitas dessas manifestações de vontade e, finalmente, ontem foi divulgado que o órgão eleitoral não aceitou por volta de 600 mil assinaturas por diferentes motivos.

O secretário-executivo da MUD, Jesús Torrealba, disse ontem que quando terminar a etapa de validação, a nova coleta de assinaturas, desta vez de 20% do censo eleitoral, "será obviamente no mês de julho". Depois disso, se iniciaria um período de campanha eleitoral entre agosto e setembro.

"E em outubro, nós, os venezuelanos, poderemos fazer o referendo revogatório", afirmou o político opositor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos