Kuczynski diz que não dará anistia a ex-presidente Alberto Fujimori

Lima, 10 jun (EFE).- O virtual presidente eleito do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, disse que não dará anistia ao ex-presidente Alberto Fujimori, pai de sua adversária no pleito, Keiko Fujimori, mas que pode aprovar uma lei, proposta pelo Congresso, para que ele cumpra a pena de 25 anos de prisão em casa.

"Se o Congresso propuser uma lei genérica, não pode ser pessoal, para que pessoas em sua condição complete o fim da sentença em casa, eu a sancionarei", disse Kuczynski à revista "Semana Econômica".

Questionado sobre uma possível anistia a Fujimori, o líder do movimento Peruanos Pelo Kambio (PPK, sigla que também faz referência ao seu nome), disse que não perdoaria os crimes do ex-presidente.

Fujimori foi condenado a 25 anos de prisão por corrupção e violações aos direitos humanos. Ele está detido em uma prisão da direção de Operações Especiais da Polícia em Lima, capital do país.

No entanto, Kuczynski expressou dúvidas se o partido de Fujimori, o Força Popular, que possui maioria no Congresso, deseja enviar o ex-presidente para a prisão domiciliar.

"Não sei se eles irão querer isso. Eles querem que ele saia pela porta da frente, mas houve um processo no qual o Tribunal Constitucional rejeitou o habeas corpus que pedia a anulação de sua condenação", disse o virtual presidente do Peru.

De acordo com o último relatório do Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE), Kuczynski obteve 50,12% dos votos contra 49,87% de Keiko Fujimori, com 99,95% das urnas apuradas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos