Aumenta para 100 o número de povos arrebatados do Estado Islâmico em Aleppo

Cairo, 11 jun (EFE).- As milícias curdo-árabes apoiadas pelos Estados Unidos continuam avançando perante os jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) na periferia da cidade síria de Manbech, na província de Aleppo, onde já arrebataram dos extremistas 100 povos, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG acrescentou que estas milícias, conhecidas como Forças da Síria Democrática (FSD) e que cercam completamente a cidade, avançaram até se situar a 16 quilômetros da entrada oeste de Manbech.

Nos últimos dois dias, as FSD arrebataram do EI o controle de 25 populações.

Os enfrentamentos começaram por causa da ofensiva lançada pelas FSD em 31 de maio e, desde então, o progresso das milícias, que contam com o apoio da aviação da coalizão internacional liderada pelos EUA, foi contínuo.

A ONG fez uma chamada hoje às forças desta coalizão e às FSD para que protejam a vida das dezenas de milhares de civis presos em Manbech quando realizam o ataque.

Pelo menos 30 civis morreram, entre eles 11 crianças e 4 mulheres, pelas bombas dos aviões da coalizão desde o começo da ofensiva sobre esta cidade, que une a província setentrional de Aleppo com Al Raqqa, principal reduto do EI na Síria.

Os terroristas enfrentam as FSD no norte da província nordeste de Al Raqqa e em Manbech, enquanto lutam contra os soldados governamentais sírios nas regiões centrais de Homs e Hama, assim como em Aleppo.

Há cinco dias, o Exército sírio entrou em Al Raqqa, o grande reduto do EI na Síria, desde a vizinha Hama.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos