Ataque a boate gay em Orlando deixa pelo menos 20 mortos e 42 feridos

Washington, 12 jun (EFE).- Pelo menos 20 pessoas morreram e 42 ficaram feridas no ataque a tiros ocorrido neste domingo na boate Pulse de Orlando (Flórida), frequentada por homossexuais, informou a Polícia.

O chefe da polícia de Orlando, John Mina, explicou, em entrevista coletiva, que o número de vítimas mortais dentro do clube é de "aproximadamente 20", apesar de não ter fornecido dados mais concretos porque a gravidade de alguns feridos pode elevar o número.

O ataque, que começou por volta das 2h local (3h, em Brasília), está sendo investigado como um "ato de terrorismo".

O suposto responsável pelo ataque, que levava um fuzil e uma pistola, morreu em um enfrentamento com as forças da ordem, indicou Mina.

"Nossos agentes dispararam contra o suspeito", afirmou.

"Pelo menos nove agentes estiveram envolvidos na troca de tiros com o suspeito. Um agente ficou ferido, mas parece que o capacete (de fibra sintética) salvou sua vida", explicou Mina, ao ressaltar que o suposto atirador estava "organizado e bem preparado".

O chefe policial apontou também que o suspeito levava um "bomba" e "possivelmente" tinha outra "em seu automóvel".

Mina acrescentou que o fato não tem relação com o tiroteio que na sexta-feira tirou a vida da cantora Christina Grimmie, conhecida por sua participação no popular programa de televisão "The Voice", ao término de um concerto em Orlando.

Por sua vez, o prefeito da cidade, Buddy Dyer, expressou seu pesar pelo "horroroso crime" e pediu que a população "seja forte".

"Somos uma comunidade forte", afirmou o prefeito na entrevista coletiva.

Vários veículos de emergência foram à boate e várias vítimas foram transferidas em ambulâncias, enquanto outras foram vistas ensanguentadas fora do local e eram atendidas por policiais, segundo as imagens emitidas pela imprensa local.

A polícia de Orlando confirmou que efetuou uma "explosão controlada" perto do clube, mas não forneceu mais detalhes, enquanto o Corpo de Bombeiros também desdobrou uma equipe de desativação de artefatos explosivos, indicou o jornal local "Orlando Sentinel".

O clube Pulse, situado no centro de Orlando, publicou em sua página de Facebook uma mensagem na qual pedia que todo o mundo saísse do local e corresse.

Um testemunha citado pela televisão local "WESH" afirmou ter ouvido cerca de 40 disparos e outra testemunha disse que um amigo foi ferido e se escondeu da boate.

A testemunha Rosie Feba, que conseguiu escapar do local junto com sua namorada, indicou que o tiroteio começou perto da hora do fechamento.

"Ela me disse que alguém estava disparando. Todo o mundo se atirou no chão", relatou Feba, que a princípio pensou que "não era real", mas "era parte da música, até que vi o fogo de sua pistola". EFE

pa/ff

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos