Abu Sayyaf diz ter matado refém canadense

Manila, 13 jun (EFE).- O grupo jihadista Abu Sayyaf afirmou nesta segunda-feira ter matado o refém canadense Robwert Hall, sequestrado no sul das Filipinas em setembro do ano passado, segundo o jornal "Inquirer", que cita como fonte o porta-voz da organização islamita, Abu Raami.

Fontes das Forças Armadas consultadas pela Agência Efe disseram não ter informação sobre a suposta execução, que se for confirmada teria acontecido ao cumprir-se o prazo imposto pelos jihadistas para o pagamento de um resgate, fixado às 15h (horário local, 4h em Brasília).

Segundo o "Inquirer", Raami afirmou que o corpo de Hall poderá ser encontrado hoje em algum lugar da cidade de Jolo, na província de Sulu, no extremo sudoeste das Filipinas.

O Abu Sayyaf tinha ameaçado matar Hall ou o cidadão norueguês Kjartan Sekkingstad se não recebesse antes de hoje um resgate de 300 milhões de pesos (cerca de US$ 6,3 milhões) por cada um deles.

Hall e Sekkingstad foram sequestrados em setembro em um complexo hoteleiro do sul das Filipinas junto ao também canadense John Ridsdel e a filipina Marites Flor.

Ridsdel já foi decapitado no dia 25 de abril ao expirar o primeiro prazo imposto pelo Abu Sayyaf para receber o dinheiro do resgate.

Pela filipina Flor os rebeldes não exigiram um resgate por enquanto.

Tanto Hall como Sekkignstad pediram ajuda ao governo das Filipinas e ao do Canadá em várias ocasiões nas gravações divulgadas nos últimos meses, nas quais apareciam com facões ao pescoço.

No entanto, o governo das Filipinas e o do Canadá afirmaram publicamente que não negociam com terroristas e condenaram energicamente o assassinato de Ridsdel.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos