Estado Islâmico crucifica 5 sírios por descumprir jejum muçulmano do Ramadã

Beirute, 13 jun (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) crucificou nesta segunda-feira cinco civis durante quatro horas na cidade de Deir ez Zor por descumprir o jejum do mês sagrado muçulmano do Ramadã, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Os cinco civis foram crucificados no muro do antigo edifício dos "hesba", corpo parapolicial dos jihadistas, diante de uma multidão na qual havia menores.

As vítimas permaneceram pregadas no muro entre 14h e 18h para depois serem retiradas e receber 70 chicotadas cada uma. Após este castigo, o EI deixou os cinco em liberdade.

O Observatório destacou que é a primeira vez que o EI aplica este tipo de castigo na Síria desde o começo do atual Ramadã, mas que já tinha sido imposto em anos anteriores.

Os extremistas empregam uma versão radical da "sharia", a lei islâmica, nos territórios que controlam na Síria e no Iraque.

Durante o mês do Ramadã, os muçulmanos se abstêm de comer, beber, fumar e ter relações sexuais desde a alvorada até o pôr do sol.

Segundo a tradição islâmica, este foi o mês no qual o profeta Maomé começou a receber a revelação do Corão.

O cumprimento do jejum é um dos cinco pilares do islã e, em geral, só estão isentos as mulheres grávidas ou menstruadas, os enfermos, as crianças e os viajantes, como estabelecem as normas religiosas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos