Japão condena massacre dos EUA e expressa solidariedade em "momento difícil"

Tóquio, 13 jun (EFE).- O governo do Japão condenou nesta segunda-feira o massacre em uma boate gay da cidade americana de Orlando, onde morreram baleadas pelo menos 50 pessoas, e mostrou sua solidariedade com os Estados Unidos "neste momento difícil".

"O terrorismo é um desafio contra os valores que compartilhamos Japão e Estados Unidos. Vamos continuar trabalhando na luta contra o terror junto à comunidade internacional", destacou o primeiro-ministro, Shinzo Abe, em mensagem dirigida ao presidente dos EUA, Barack Obama, publicado pela Chancelaria japonesa.

O líder japonês também se mostrou "profundamente comovido e indignado" pelo massacre, com pelo menos 50 mortos e 53 feridos.

O suspeito do tiroteio, que aconteceu na madrugada do sábado para domingo, foi identificado como o americano de origem afegão Omar Mir Seddique Mateen, de 29 anos e que morreu durante confronto com a Polícia.

O grupo terrorista Estado islâmico (EI) assumiu ontem a autoria do massacre, segundo a agência de notícias vinculada aos jihadistas, a "Amaq", ao assegurar que o ataque foi obra de um de seus "combatentes".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos