Obama encontra sobreviventes e familiares de vítimas do massacre de Orlando

Orlando (EUA), 16 jun (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniu nesta quinta-feira em Orlando com sobreviventes e familiares das vítimas do massacre de domingo passado na cidade, além de com membros das forças de segurança que atuaram no pior ataque a tiros da história do país.

Menos de uma hora após aterrissar em Orlando, Obama chegou ao estádio Amway Center, aonde joga a equipe de basquete Orlando Magic, e em cuja fachada havia um telão que mostrava mensagens de condolências às vítimas do tiroteio, que deixou 50 mortos - inclusive o autor do massacre - e 53 feridos.

Acompanhado do vice-presidente, Joseph Biden, Obama se reuniu no estádio com um grupo de sobreviventes da tragédia e de parentes dos mortos, que não foram identificados pela Casa Branca.

Antes desse encontro, Obama e Biden "tiveram a oportunidade de reunir-se com agentes das forças de segurança locais para agradecer por suas ações em resposta ao ataque na boate Pulse", segundo indicou a Casa Branca.

A expectativa é que, em algum momento de sua visita, Obama faça declarações para "deixar claro que o país está do lado do povo de Orlando, do lado da comunidade LGBT em Orlando neste momento de luto", antecipou ontem o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest.

Outro porta-voz da residência presidencial, Eric Schultz, ressaltou hoje em declarações a jornalistas que Obama não dará um discurso extenso, mas "fará poucas reflexões pessoais", e atribuiu a falta de detalhes sobre a agenda à dificuldade de planejar uma viagem do presidente em tão poucos dias.

Obama chegou a Orlando minutos depois de Biden, que lhe recebeu na pista de aterrissagem junto ao governador da Flórida, o republicano Rick Scott; o senador democrata Bill Nelson; o prefeito de Orlando, Buddy Dyer; e a prefeita de Orange County, Teresa Jacobs.

O presidente cumprimentou cada um deles e abraçou Dyer, que lhe mostrou uma camiseta preta com uma bandeira do arco-íris em forma de coração e o lema "Orlando United" ("Orlando Unida").

O senador republicano Marco Rubio e a congressista democrata Corrine Brown, ambos representantes da Flórida, viajaram com Obama e desceram junto com ele as escadas do Air Force One.

Obama também deve reunir-se com os profissionais médicos que atenderam às vítimas do massacre e salvaram vidas.

O presidente qualificou de "ato de terrorismo e ato de ódio" o massacre cometido pelo americano de origem afegã Omar Mir Seddique Mateen, que tinha declarado sua lealdade ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos