Polícia argentina desarticula organização que realizava abortos clandestinos

Buenos Aires, 16 jun (EFE).- A polícia da Argentina desbaratou uma organização que se dedicava a realizar abortos clandestinos em bairros de Buenos Aires e seu entorno, em uma operação na qual foram detidas 20 pessoas de diversas nacionalidades, informaram nesta quinta-feira fontes oficiais.

Concretamente foram detidos três homens - dois peruanos e um boliviano - e 17 mulheres - nove bolivianas, seis argentinas e duas peruanas -, que supostamente integravam a organização.

Além disso, durante a operação, os policiais encontraram duas mulheres grávidas, uma paraguaia e outra boliviana.

Estas últimas se encontravam em imóveis que foram alvo de mandados de buscas e apreensão ordenados pela Justiça e foram internadas em centros hospitalares, afirmou o Ministério de Segurança da Argentina em uma nota de imprensa.

Na operação foram apreendidos vários telefones celulares, agendas com informação das pacientes e pastilhas para induzir o aborto, assim como elementos utilizados para práticas abortivas, entre outros objetos.

Segundo a investigação, a atividade funcionava através da captação de mulheres grávidas na via pública por meio de "promotoras" que entregavam panfletos que divulgavam os procedimentos, que eram realizados em imóveis precários que faziam as vezes de consultórios falsos.

Os envolvidos, "com nulos conhecimentos médicos", forneciam às mulheres remédios que provocavam a expulsão do feto, "com o risco que isto acarretava para a vida das mesmas", em troca de uma soma de dinheiro.

O Ministério acrescentou que as pastilhas abortivas eram obtidas de maneira ilegal de países limítrofes, já que sua comercialização não está autorizada pela Administração Nacional de Remédios, Alimentos e Tecnologia Médica da Argentina.

A operação, fruto de uma extensa investigação, foi realizada por soldados da Divisão Crimes contra a Saúde da Superintendência de Investigações da Polícia Federal argentina, que concluíram que os homens detidos de nacionalidade peruana eram os líderes da organização.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos