Strauss-Kahn é condenado a para uma multa por envolvimento em prostituição

Paris, 16 jun (EFE).- O ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn foi condenado nesta quinta-feira junto com outras sete pessoas a pagar uma multa no processo civil aberto contra o grupo por prostituição.

O Tribunal de Apelação de Douai, no norte da França, lhes obrigou a pagar 20 mil euros em conceito de danos e prejuízos à associação de luta contra a prostituição Mouvement du Nid, segundo o jornal "Le Monde" em seu site.

As oito pessoas condenadas hoje no processo civil deverão pagar também 5.000 euros pelas custas judiciais.

Em junho do ano passado, o economista francês foi absolvido pelo tribunal da acusação de prostituição em relação às orgias com prostitutas quando era responsável do FMI, depois que se estabeleceu que "teve um comportamento de cliente" e que não havia provas de crime.

Apenas uma das outras 13, pessoas que se sentaram junto com Strauss-Kahn no banco acabou condenada a uma pena de um ano de prisão isenta de cumprimento: René Kojfer, que era responsável de relações públicas do hotel Carlton de Lille, que serviu de base de operações para a rede de prostitutas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos