Jornal diz que Rússia atacou forças rebeldes na Síria apoiadas pelos EUA

Washington, 16 jun (EFE).- O Departamento de Defesa dos Estados Unidos acusou nesta quinta-feira a Rússia de bombardear forças rebeldes no sul da Síria que contam com apoio americano, segundo publicação do jornal "Washington Examiner", que citou como fonte um alto funcionário do Pentágono.

Segundo o jornal, os ataques aéreos russos aconteceram hoje no sul da Síria, perto de Al Tanf, na fronteira com a Jordânia, e foram dirigidos contra rebeldes que lutavam contra o Estado Islâmico (EI), incluindo alguns que contam com respaldo dos EUA.

Os aviões russos "não estavam ativos nessa área há muito tempo", indicou um funcionário do Departamento de Defesa, excluindo assim um possível caso de autodefesa e acrescentou que as autoridades americanas pedirão explicações para a Rússia sobre o ocorrido, além de exigir garantias de que o mesmo não vai se repetir.

"As últimas ações da Rússia levantam sérias preocupações sobre suas intenções", apontou a fonte do "Washington Examiner".

Este episódio acontece depois que diplomatas dos EUA protestaram nesta semana contra a política do governo de Barack Obama na Síria, e assinaram um documento interno que pede ataques militares contra o regime de Bashar al Assad, segundo publicaram hoje os jornais "The Wall Street Journal" e "The New York Times".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos