Governo argentino enaltece Brasil e Paraguai por prisão de traficante

Buenos Aires, 19 jun (EFE).- O governo da Argentina agradeceu neste domingo ao presidente do Paraguai, Horacio Cartes, e à Polícia e aos serviços de Inteligência do Brasil pela detenção do argentino Ibar Pérez Corradi, preso hoje em Foz do Iguaçu, no Paraná, e enviado sob custódia policial a Assunção.

"O presidente do Paraguai merece do nosso governo um enorme reconhecimento a uma decisão política de procurar e perseguir Pérez Corradi", disse a ministra de Segurança argentina, Patricia Bullrich, em entrevista coletiva.

Corradi, foragido da Justiça argentina e acusado como suposto autor intelectual de um triplo assassinato relacionado ao tráfico de efedrina, foi detido hoje em um apartamento em Foz do Iguaçu, cidade que faz fronteira com o Paraguai e a Argentina.

Patricia destacou o profissionalismo do serviço de inteligência da Argentina que permitiu essa prisão "em colaboração com a agência de inteligência do Brasil, à Polícia Civil brasileira e o governo paraguaio".

"Aos nossos irmãos paraguaios, muito obrigada. Agradeço também à Polícia Civil do Brasil e a inteligência brasileira, que trabalharam fortemente", insistiu a ministra.

Segundo a ministra, Corradi, que também tinha um pedido de extradição dos Estados Unidos por suposto narcotráfico, "estava encurralado há vários meses" e "teve certa proteção que foi se desarmando" por "vontade do governo paraguaio de não permitir nenhum tipo de cumplicidade de parte de seus agentes e, inclusive, muitos deles foram sentenciados".

"Isto fez com que Pérez Corradi ficasse em uma situação de solidão, cada vez com menos proteção", explicou.

Conforme explicou, o criminoso chegou a pagar US$ 50 mil para fazer uma raspagem de suas impressões digitais e mudou sua aparência e nome.

A ministra afirmou que já conversou com a promotora paraguaia Sandra Quiñónez, que está à frente da causa contra Corradi pelo uso de documento de identidade falso. Segundo ela, a promotora paraguaia disse que "o Código Processual Penal do Paraguai tem um artigo que permite aplanar em critérios de oportunidade as causas que são secundárias quando há uma causa fundamental, que neste caso é a causa do triplo crime" de Sebastián Forza, Damián Ferrón e Leopoldo Bina, em 2008.

Patricia ainda disse que o promotor paraguaio Javier Díaz já comunicou que vai a começar de maneira imediata o processo de extradição de Corradi.

"Pérez Corradi tem muito a dizer à Justiça argentina. Foi o cabeça de uma organização que fez muitos danos ao nosso país", afirmou ela, destacando que a prisão é o resultado da "persistência de um governo que decidiu acabar com a impunidade".

Mais cedo, o Ministério Público paraguaio informou que o traficante se apresentará à Justiça amanhã para responder as acusações de suposta produção de documentos falsos e abuso de documentos de identidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos