Exército israelense reconhece que matou "transeunte" palestino de 15 anos

Jerusalém, 21 jun (EFE).- O Exército israelense reconheceu que matou um "transeunte" palestino de 15 anos na noite de segunda-feira, que "aparentemente" não estava envolvido em um ataque com pedras contra veículos na estrada que passa pela Cisjordânia ocupada, em um incidente que suscitou a resposta dos soldados.

O adolescente era "aparentemente um transeunte não envolvido" no fato, no qual outros quatro palestinos ficaram feridos, três deles em estado grave, informou nesta sexta-feira o Exército israelense.

Uma porta-voz militar confirmou à Agência Efe que foi aberta uma investigação preliminar para determinar o que ocorreu nesse fato.

"De acordo com uma investigação preliminar, o civil morto e os feridos aparentemente foram erroneamente alcançados" por fogo israelense, precisou.

Um israelense e dois cidadãos estrangeiros ficaram levemente feridos como consequência do lançamento de pedras e coquetéis molotov quando transitavam pela estrada 443, que une Jerusalém com Tel Aviv.

Em resposta, os soldados israelenses dispararam e mataram um adolescente palestino e feriram outros quatro, três deles em estado grave.

Conforme as fontes palestinas, o menor morto foi identificado como Mahmoud Badran, que perdeu a vida por disparos israelenses em uma área próxima à cidade cisjordaniana de Ramala.

Três dos feridos palestinos foram internados em um hospital dessa cidade, de acordo com fontes locais.

Fontes da Autoridade Nacional Palestina (ANP) apontaram que os menores se dirigiam de Ramala para sua aldeia palestina quando soldados israelenses dispararam enquanto se encontravam em um veículo.

Fontes do escritório do porta-voz do exército disseram à Agência Efe em um primeiro momento que os soldados abriram fogo contra os agressores, matando um e deixando outro ferido e que "outros dois palestinos foram detidos".

Os fatos se emolduram na onda de violência que começou em outubro passado, que já deixou 214 palestinos mortos (mais de dois terços deles agressores ou supostos agressores, segundo Israel), 34 israelenses e três estrangeiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos