Jordânia declara como "zona militar fechada" sua fronteira com Síria

Amã, 21 jun (EFE).- O Exército jordaniano declarou nesta terça-feira sua fronteira com a Síria como "zona militar fechada", horas depois do atentado terrorista contra um posto militar próximo a território sírio, no qual seis soldados morreram e 14 ficaram feridos.

"As Forças Armadas tratarão de maneira firme e forte e como alvo hostil todo veículo e indivíduo que se desloque nessas áreas sem autorização", informou o órgão em comunicado.

O ataque, que não foi reivindicado até o momento por nenhum grupo, aconteceu perto de um acampamento informal de refugiados sírios, localizado na região síria de Rakban, na fronteira com o extremo nordeste da Jordânia. Os dois países compartilham 375 quilômetros de limite divisório.

As autoridades permitem há dois meses a entrada de 300 deslocados provenientes deste acampamento por dia, situado em uma área desértica próxima do triângulo fronteiriço que Jordânia, Síria e Iraque formam. As autoridades jordanianas não disseram se após o anúncio de hoje bloqueará também essa entrada.

A Jordânia acolhe mais de 600 mil refugiados sírios, segundo a Agência da ONU para Refugiados (Acnur), e cerca de 1,5 milhão de acordo com às autoridades.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos