Polícia detém 3 conhecidos de jihadista que assassinou 2 policiais na França

Paris, 21 jun (EFE).- A polícia da França informou nesta terça-feira que três pessoas próximas a Larossi Abballa, o assassino que na semana passada invadiu a casa de dois policiais e os assassinou em Magnanville, nos arredores de Paris, foram detidos hoje em localidades próximas do local do crime.

Suspeita-se que os detidos poderiam ter monitorado o casal de policiais, Jean-Baptiste Salvaing e Jessica Schneider, que foram assassinados com uma faca em sua residência, na presença de seu filho de três anos.

Os detidos já tinham sido condenados no passado por crimes relacionados com o terrorismo, assinalaram as fontes a veículos de imprensa franceses, que indicaram que a operação se desenvolveu nas localidades de Les Mureaux e de Mantes-la-Jolie, onde o próprio Abballa residia.

Segundo o jornal "Le Parisien", a polícia acredita que os suspeitos monitoraram os policiais assassinados em uma reunião festiva na região de Yvelines, perto de Paris.

No sábado passado, outros dois conhecidos de Abballa, identificados como Saad Rajraji e Charaf-Din Aberouz, foram presos acusados de vínculos com o jihadismo.

Na casa do primeiro, foi encontrado o endereço de Fabien Clain, o jihadista francês que supostamente deu voz na Síria para a reivindicação em nome do Estado Islâmico (EI) dos atentados terroristas de 13 de novembro em Paris.

Clain é original de Toulouse e foi cofundador do grupo salafista denominado "célula de Artigat", relacionado com Mohammed Merah, o terrorista francês de origem argelina que em 2012 matou sete pessoas nessa cidade e em seus arredores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos