Bernie Sanders: "EUA não vão votar em presidente que insulte latinos"

Washington, 23 jun (EFE).- O senador Bernie Sanders disse nesta quinta-feira que o virtual candidato republicano à presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, "agrava" o medo que muitos hispânicos imigrantes ilegais sentem no país e se mostrou convicto de que os americanos "não vão votar em um presidente que insulte mexicanos e latinos em geral".

"Falei com muitas famílias imigrantes latinas e fiquei comovido e impactado pelo medo e tristeza que sentem muitos deles. E o que agrava esse medo é a presença de Donald Trump", afirmou Sanders em discurso na conferência anual da Associação Nacional de Funcionários Latinos Eleitos e Nomeados (NALEO).

Sanders, rival de Hillary Clinton nas primárias democratas, afirmou que "dada a história do país, esperava em 2016" já não existissem mais "candidatos que transformam a intolerância na pedra fundamental de suas campanhas".

"Acredito firmemente que Trump não se tornará presidente por uma série de razões, mas a principal delas é que o povo americano não vai votar em um presidente que insulte os mexicanos, os latinos, os muçulmanos e às mulheres", indicou.

"Nosso país precisa de alguém que nos una, não que nos divida", acrescentou na conferência, realizada em Washington.

Sanders, que, por enquanto, não suspendeu sua campanha à presidência dos Estados Unidos, apesar de Hillary já ter atingido o número de delegados suficiente para garantir a indicação, ressaltou também a necessidade de o Congresso aprovar "uma reforma migratória integral com um caminho à cidadania" para os imigrantes ilegais.

Ele acrescentou que uma das razões menos mencionadas, mas mais importantes pelas quais se necessita uma reforma migratória, é que "muita gente é explorada diariamente no trabalho, e não pode lutar por seus direitos porque seu empregador sabe que não têm direitos" por ser imigrante ilegal.

Ele também defendeu o fim das atuais políticas de deportação e "proporcionar um Status de Proteção Temporária (TPS) às famílias e crianças centro-americanas" que cruzam a fronteira fugindo de uma "violência indescritível" em seus países de origem.

"Precisamos receber estas crianças de braços abertos para assegurar-nos de que os Estados Unidos continuam sendo uma nação de esperança", ressaltou Sanders, que pediu também para "acabar com a propriedade privada das prisões e os centros de detenção" de imigrantes ilegais.

Sanders foi o único candidato à presidência dos Estados Unidos dos dois principais partidos que falou na conferência anual da NALEO, uma das maiores organizações latinas do país, que também convidou Hillary e Trump. Fontes da NALEO explicaram à Agência Efe que Hillary indicou na semana passada que não estava "disponível" para participar da conferência, enquanto Trump não respondeu oficialmente à solicitação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos