Principal acusado por morte de jovem negro em Baltimore é inocentado

Washington, 23 jun (EFE).- Caesar Goodson, policial contra quem pesam as denúncias mais graves pela morte do jovem negro Freddie Gray, em Baltimore, em abril de 2015, foi inocentado nesta quinta-feira de todas as acusações, incluindo homicídio.

O juiz Barry Williams, de Baltimore (Maryland), também inocentou os agentes das acusações de morte por imprudência, assalto em segundo grau e má conduta pelos fatos que provocaram a morte de Gray, que gerou uma série de protestos nos Estados Unidos.

Goodson, de 46 anos, conduzia o veículo no qual Gray foi levado à delegacia. No caminho, ele sofreu várias lesões no pescoço, que o deixaram em coma e posteriormente causaram a morte.

O policial tinha sido acusado de voluntariamente ter conduzido o veículo no qual Gray, de 25 anos, era transportado, de forma que o preso batesse na cabine da parte da traseira do furgão policial, uma prática que já havia sido denunciada no passado às autoridades.

"O tribunal não encontrou evidências suficientes de que o acusado conduzisse de maneira imprudente voluntariamente", afirmou o juiz da sentença, notícia que foi recebida com indignação por ativistas que acusam a polícia de Baltimore de violência contra os negros.

Goodson é o terceiro policial dos seis envolvidos na prisão de Gray que não é condenado, após a procurador-geral de Baltimore, Marilyn Mosby, ter prometido "justiça" pela morte que serviu para mostrar a desigualdade vivida nas comunidades negras na cidade.

A acusação alegava que Gray pode ter sido vítima da prática conhecida como "passeio do cowboy", na qual os detidos são transportados sem cinto de segurança na cela metálica das viaturas, entre fortes freadas e curvas bruscas para que se machuquem.

Os promotores sustentam, além disso, que a prisão de Gray em um dos bairros mais pobres de Baltimore foi ilegal, já que o jovem não tinha cometido nenhum crime.

Durante o processo, os promotores afirmaram que Goodson violou as regras ao não colocar o cinto de segurança em Gray. Além disso, outros agentes colocaram algemas nos punhos e nas pernas do jovem, o que impedia que ele se segurasse para evitar os choques.

Os Estados Unidos viveram vários momentos de tensão racial desde o meio do ano passado, especialmente desde a morte em agosto de Michael Brown, que estava desarmado quando foi morto por um policial branco, e depois inocentado de todas as acusações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos