Escócia ameaça vetar "Brexit"

Em Londres

O que acontece agora?

A primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, disse neste domingo (26) que o Parlamento escocês poderia bloquear a saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Em declarações para um programa da emissora BBC, a premiê sustentou que pediria "certamente" ao parlamento autônomo, onde seu partido tem 63 dos 129 deputados, que não concedesse o "consentimento legislativo" para que o governo de Londres procedesse com a saída do bloco comunitário.

No entanto, Sturgeon admitiu que o governo britânico poderia contestar a necessidade de ter que receber o consentimento de Edimburgo para proceder com o "Brexit".

"O que você está me dizendo é que deveria haver uma moção de consentimento legislativo, ou moções (no Parlamento escocês), sobre a legislação que levaria à separação do Reino Unido da União Europeia?", questionou a primeira-ministra ao apresentador do programa.

"Olhando de uma perspectiva lógica, eu custo a acreditar que esse requisito não seja necessário, mas suspeito que o governo britânico tenha outro ponto de vista", afirmou Sturgeon.

Ao ser perguntada pelo apresentador Gordon Brewer se cogita pedir ao parlamento autônomo que não dê seu respaldo a essa potencial moção de consentimento legislativo, a líder independentista respondeu: "Certamente".

"Se o Parlamento escocês decidir com base no que é melhor para a Escócia, então a opção de dizer, 'olhem, não vamos votar por algo que vai contra os interesses da Escócia', deve certamente estar sobre a mesa", acrescentou a premiê.

Sturgeon manifestou sua decepção com o resultado do histórico referendo de 23 de junho, vencido pelos partidários a deixar a União Europeia com 52% contra 48% dos votos.

Esse resultado, no entanto, contrasta com a votação ocorrida especificamente na Escócia, onde 62% dos eleitores apoiaram a permanência, contra 38% que decidiram pelo "Brexit".

Após conhecer o resultado, Sturgeon disse na sexta-feira que é "altamente provável" que a Escócia, que será "tirada da UE contra sua vontade", realize um segundo referendo de independência, depois que a maioria da população optou por permanecer no Reino Unido na consulta feita em setembro de 2014.

Sturgeon também anunciou que pedirá uma reunião com líderes das instituições europeias e dirigentes de outros Estados-membros do bloco para "assegurar o lugar da Escócia na UE".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos