Ministro australiano defende controle da fronteira em luta antiterrorista

Sydney (Austrália), 1 jul (EFE).- O ministro de Imigração da Austrália, Peter Dutton, reforçou a necessidade de um duro controle das fronteiras para evitar a entrada de terroristas e afirmou que a segurança será fundamental nas eleições de sábado no país, informaram nesta sexta-feira a imprensa local.

"Queremos ter certeza de que sabemos quem vem para este país. Vimos o que aconteceu em Istambul, Bruxelas e Paris", disse Dutton, se referindo aos recentes ataques terroristas no mundo, em declarações a "Sky News" citadas pela agência local "AAP".

Questionado se estava ligando o terrorismo aos solicitantes de asilo que chegaram de barco tentando alcançar a costa australiana, Dutton respondeu que "não se pode ter gente viajando sem documentos de identidade".

O ministro conservador atacou o Partido Trabalhista, com o qual a coalizão governante está empatado pesquisas, por ter permitido a chegada de 50 mil imigrantes ilegais enquanto esteve no poder.

A Austrália tem uma rígida política de imigração, que inclui o retorno a seus portos de embarque de embarcações com pessoas que, em muitos casos, pretendem pedir asilo político no país.

A Anistia Internacional acusou recentemente o governo australiano de realizar pagamentos para as máfias que operam os barcos que transportam solicitantes de asilo para devolvê-los à Indonésia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos