Hezbollah condena atentado suicida em Bagdá

Beirute, 3 jul (EFE).- O grupo xiita libanês Hezbollah condenou neste domingo o ataque suicida que causou em Bagdá (Iraque) a morte de pelo menos 125 pessoas e deixou mais de 135 feridas, uma ação reivindicada pelo grupo terrorista sunita Estado Islâmico (EI).

"Este massacre nos leva a elevar nossa voz contra as potências regionais e internacionais que estão por trás desse tipo de ação para provocar medo e caos no seio das nossas sociedades árabes e islâmicas", afirmou Hezbollah em comunicado.

O grupo também disse que o fato de o atentado ter acontecido nas últimas noites do mês sagrado muçulmano do Ramadã é uma "nova expressão do ódio desses criminosos, que querem terminar com as sociedades árabes e islâmicas, seus patrimônios e seus princípios".

"Estes crimes acontecem também em um momento em que a organização terrorista do Estado Islâmico está sofrendo sucessivas derrotas no Iraque, por isso querem se vingar por sua incapacidade atacando a civis inocentes", acrescentou o comunicado.

O grupo xiita ainda apresentou suas condolências ao povo iraquiano.

O atentado suicida com carro-bomba cometido pelo EI já atingiu o número mais alto de vítimas em um só ataque registrado este ano no Iraque. A explosão aconteceu por volta da 1h da madrugada de domingo (19h de sábado em Brasília) em frente à conhecida sorveteria Yabar Abu al Sharbat, no distrito de Karrada, onde a população é majoritariamente xiita.

Também de madrugada, outro carro-bomba explodiu no mercado popular de Shalal, em Al Shaab, no nordeste de Bagdá e muito frequentado por xiitas. Este atentado causou a morte de um civil e feriu outros cinco, além de destruir várias lojas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos