Assistente do ex-presidente chinês Hu Jintao é condenado à prisão perpétua

Pequim, 4 jul (EFE).- Ling Jihua, antigo secretário pessoal do ex-presidente chinês Hu Jintao, foi condenado nesta segunda-feira à prisão perpétua por aceitar subornos, obter ilegalmente segredos de Estado e abusar de seu poder.

Segundo informou a agência oficial "Xinhua", que cita o Tribunal Popular Intermédio Número 1 de Tianjin, cerca de 200 quilômetros de Pequim e onde ocorreu o julgamento a portas fechadas, Ling se declarou culpado e decidiu não apelar da sentença.

"Aceito todos as acusações", declarou Ling, segundo "Xinhua". "O julgamento de hoje ficará gravado em minha memória", acrescentou.

De acordo com o meio oficial, o que fora mão direita de Hu descreveu o julgamento como "meticuloso, racional e civilizado", e mostrou seu agradecimento à corte, à Procuradoria e seus dois advogados.

Ling, de 58 anos, foi afastado do poder em 2012, pouco depois de seu filho morrer em acidente com uma luxuosa Ferrari, apesar da Procuradoria não ter anunciado os crimes pelos quais foi condenado até maio, no marco da campanha contra a fraude de Estado lançada pelo presidente Xi Jinping, que sucedeu Hu em 2013.

O tribunal de Tianjin acusou Ling de aceitar subornos por mais de 77,08 milhões de iuanes (cerca de US$ 11,6 milhões) através dele mesmo e de sua família, além de obtenção ilícita de segredos de Estado e de abuso de poder.

A queda em desgraça do assistente de Hu, no entanto, se remonta a 2012, após a morte de seu filho, Ling Gu, em um acidente de trânsito quando conduzia uma Ferrari em grande velocidade, um fato que suscitou muitas críticas sobre o comportamento dos líderes comunistas e suas famílias.

Ling Gu viajava no carro junto a duas mulheres, que ficaram gravemente feridas, e uma delas morreu meses após uma súbita piora de saúde relacionada com o acidente.

Pouco depois do acidente, Ling Jihua, que entre 2007 e 2012 foi diretor do Escritório Geral do Partido Comunista (PCCh) e era uma figura influente da cena política chinesa, foi relegado a cargos honoríficos no regime.

O outrora homem de confiança de Hu passou a ocupar postos sem transcendência real, como a vice-presidência da Conferência Consultiva Política do Povo Chinês (órgão similar a uma câmara alta nos regimes democráticos) e a chefia da Frente Unida, instituição que regula a relação do PCCh com outros partidos.

No entanto, a sentença não dá encerra seu caso, já que especula-se com que Ling teria entregado importantes segredos de Estado a seu irmão Ling Wancheng, empresário foragido aos Estados Unidos.

Enquanto Ling Jihua se transformou em um dos cargos de maior nível condenados por corrupção desde que Xi chegou ao poder, junto ao ex-ministro de Segurança Pública Zhou Yongkang, que cumpre a mesma pena, a China negocia com os EUA a captura e extradição de seu irmão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos