Forças de segurança do Kuwait impedem plano terrorista do EI

Riad, 4 jul (EFE).- As forças de segurança do Kuwait impediram a concretização de um plano terrorista do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e prenderam alguns integrantes da organização que planejavam atentar nos próximos dias, informou o Ministério do Interior do país nesta segunda-feira.

Em comunicado, divulgado pela agência kuwatiana de notícias "Kuna", o governo informou que as forças de segurança "conseguiram lançar ataques antecipados contra o EI dentro e fora do país, com a detenção de integrantes do grupo".

Entre os detidos se encontra Talal Nayef Rayá, kuwatiano nascido em 1998 que planejava atentar em uma mesquita na província de Huli e em uma instalação do Ministério do Interior.

O acusado jurou lealdade ao EI nos interrogatórios e disse ter recebido instruções de um dos líderes do grupo no exterior. O ataque estava previsto para o fim do mês de jejum do Ramadã ou no início dos destejos muçulmanos de Eid al-Fitr, que marca o fim desse mês.

As forças de segurança também prenderam no exterior - embora sem detalharem o país - Ali Mohammed Omar, nascido em 1988 e de nacionalidade kuwatiana, e a sua mãe, Hesa Abdullah Mohammed, nascida em 1964. Também foi capturada uma criança que Omar teve na cidade de Al Raqqa - principal reduto do EI na Síria - com sua esposa síria.

Omar interrompeu os estudos na Faculdade de Engenharia do Petróleo do Reino Unido e viajou para Al Raqqa após a morte do irmão caçula no Iraque, que lutava nas fileiras do EI.

Na cidade síria, o homem trabalhou em jazidas de petróleo e gás, enquanto sua mãe foi professora para esposas e filhos dos jihadistas, segundo a nota de Interior.

As autoridades kuwaitianas reforçaram as medidas de segurança em aeroportos, postos de fronteira e instalações petrolíferas, em previsão de eventuais atentados.

O jornal kuwaitiano "Al Siasa informou que as autoridades receberam na semana passada uma mensagem dos serviços de inteligência dos EUA que alertava sobre um provável ataque terrorista em lugares sensíveis do país em dias ou semanas.

O Kuwait foi palco em junho de 2015 de um ataque suicida contra uma mesquita xiita, no qual 27 pessoas morreram e 200 ficaram feridas. No dia 30 de maio deste ano, o Tribunal de Cassação do Kuwait confirmou a pena de morte para um homem por esse atentado, que foi reivindicado pelo EI.

Em julho de 2015, o Ministério do Interior do Kuwait anunciou a detenção de cinco integrantes de uma suposta célula terrorista pertencente ao grupo jihadista.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos