Berlusconi sai do hospital e diz que na Itália "falta um líder"

Roma, 5 jul (EFE).- O ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi deixou nesta terça-feira o hospital de São Raffaele de Milão após ter passado por uma cirurgia no coração em 14 de junho e afirmou que em seu país "falta um líder".

Em declarações à imprensa na porta do hospital, Berlusconi disse que "sente que pode dar ainda uma contribuição, uma contribuição ao próprio país. Espero que não faça falta, mas se for necessário espero ter a força".

"Na Itália há uma preocupante carência de líder", continuou Berlusconi, de 79 anos, que passou por uma intervenção cirúrgica para substituir a válvula aórtica -que separa o coração da aorta e que abre e fecha para permitir que o sangue flua para o resto do corpo- por uma biológica de origem animal.

"Foi uma cirurgia muito, muito dolorosa, não achava que poderia enfrentar tanta dor. Agora estou um pouco melhor", acrescentou.

"Minhas preocupações principais são a dor e não poder dormir", disse o líder da conservadora Forza Itália, que acrescentou que também "é preciso estar preocupado com tudo o que ocorre no mundo, por este terrorismo feroz e absurdo e pela situação mundial, que apresenta uma ausência de liderança incrível".

"Com a saída da Inglaterra (da União Europeia após o referendo realizado no Reino Unido) pode começar um processo de desagregação", disse o ex-chefe do governo italiano.

"O povo jovem não reacorda do que foi a Guerra Fria e as duas grandes guerras, sendo que a segunda causou 60 milhões de vítimas, uma guerra fratricida entre europeus", se lamentou Berlusconi.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos