Brasil propõe ao Uruguai promoção conjunta de exportações

Montevidéu, 5 jul (EFE).- Brasil propôs nesta terça-feira ao Uruguai a promoção conjunta de exportações por intermédio da agência Apex-Brasil, informou em Montevidéu o ministro das Relações Exteriores, José Serra, após se reunir com o presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, e com o chanceler, Rodolfo Nin Novoa.

"Abrimos a possibilidade para que o Uruguai possa compartilhar o trabalho da agência e que também vá aonde o Brasil for para fazer promoção no mundo. É um trabalho de cooperação bilateral", anunciou Serra, que qualificou a iniciativa como "uma aliança interessante".

Como exemplo, o ministro destacou as possibilidades que a região de África Subsaariana representa para o comércio exterior de ambos os países.

"Cresceu o dobro que a América do Sul entre 2000 e 2010 e três vezes mais" nos últimos anos, disse Serra, que também indicou que a tentativa é alcançar um "mercado em permanente expansão" com capacidade de "absorver" os produtos de Brasil e Uruguai.

Nesse sentido, declarou que os países dessa região africana demandam alimentos processados e equipamentos para a produção agrícola, entre outras coisas. Além disso, ressaltou o fato de que muitos desses países "exportam petróleo", como Nigéria e Irã.

Em relação ao Irã, Serra destacou que suspensão das sanções internacionais devido ao desenvolvimento de um programa nuclear abriram uma perspectiva interessante.

Serra também abordou outras duas questões na visita ao Uruguai, uma referente à possibilidade de se criar uma direção transnacional para a gestão da hidrovia Paraná-Paraguai (que nasce na Bolívia e desemboca no rio da Prata) e também o aprofundamento da cooperação além da fronteira em matéria de segurança.

Sobre a primeira proposta, Serra indicou que o presidente da Argentina, Mauricio Macri, demonstrou "enorme interesse" e disse que o Brasil sediará uma reunião na qual serão convocados os ministros de Relações Exteriores e Transporte dos países envolvidos para desenvolver a ideia.

Segundo explicou, o objetivo é criar uma direção transnacional para elaborar "projetos básicos" e de "financiamento.

Serra afirmou que a hidrovia atualmente transporta cerca de 18 milhões de toneladas de mercadoria ao ano, mas que tem potencial - com melhor organização, regulação comum e investimentos complementares, segundo expressou - para "triplicar ou quadruplicar" essa quantidade.

Quanto à proposta em matéria de segurança, o ministro disse que no final deste mês haverá uma reunião na qual serão convocados os representantes de diferentes pastas (Relações Exteriores, Justiça, Segurança e Defesa foram as que mencionou) de Chile, Bolívia, Argentina, Uruguai e Brasil para coordenar "uma ação comum" voltada permanentemente em matéria de fronteira.

Serra afirmou que Vázquez manifestou interesse no assunto e ressaltou que para o Brasil esse tema significa uma "enorme preocupação" devido, entre outras coisas, ao tráfico de drogas, ao contrabando de mercadorias e de armas, que ocorre através dos limites territoriais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos