Em 1º comício juntos, Hillary promete "construir" sobre legado de Obama

Washington, 5 jul (EFE).- A virtual candidata democrata às eleições presidenciais dos Estados Unidos, Hillary Clinton, prometeu nesta terça-feira "construir" sobre o legado e o "progresso" do atual presidente, Barack Obama, em seu primeiro comício de campanha juntos.

Hillary enalteceu os avanços realizados pelo governo americano sob a liderança do atual líder, como os "75 meses seguidos de criação de emprego", mas alertou que ainda há "muito a ser feito" sobre "problemas estruturais" como a desigualdade e o acesso à educação.

No centro de convenções de Charlotte, na Carolina do Norte, a ex-secretária de Estado agradeceu por contar com o apoio de Obama, que "de rival, passou a ser amigo", porque "depois de tudo já sabe algumas coisas sobre ganhar eleições", brincou.

"Quando olho para o presidente, vejo alguém que, apesar da obstrução (do Congresso) que enfrentou, continua a encontrar pontos e propósitos em comum. É um homem de Estado que lidera não só nosso país, mas o mundo todo, um presidente que sabe como nos manter seguros e fortes", disse a pré-candidata.

A democrata também destacou o número de pessoas que conseguiram ter acesso ao sistema de saúde após a reforma promovida pelo atual líder.

Diante dessas conquistas, Hillary prometeu continuar a trabalhar pela "classe média" dos EUA, primeiramente com um aumento dos salários e impulsionando a igualdade salarial.

"Em meus primeiros cem dias na presidência farei o maior investimento para a criação de postos de trabalho bem pagos desde a Segunda Guerra Mundial", garantiu a virtual candidata democrata, que também prometeu aumentar o salário mínimo e tornar universal a gratuidade das universidades públicas.

Hillary Clinton também mencionou as reformas sobre Wall Street realizadas pelo líder e assegurou que ela seguirá o mesmo caminho para impedir que uma crise como a de 2008 volte a se repetir.

Presente no comício, Obama disse confiar no pulso firme de Hillary em meio aos futuros desafios caso seja eleita a próxima presidente do país.

"Estou aqui porque acredito em Hillary Clinton. Tenho certeza que ela não vai se render, não importa quão difícil seja o desafio", argumentou o presidente.

Obama lembrou que esta não é a primeira vez que ambos fazem campanha juntos e relembrou os tempos em que foram rivais nas primárias democratas de 2008, nas quais a venceu na disputa pela indicação.

"Já a admirava como senadora, mas acabei essa primária a admirando ainda mais porque tive a oportunidade de ver de perto como ela está preparada e como é inteligente. Sempre tinha que estar atento porque ela sabia cada dado, cada detalhe", relatou o líder, em alusão aos debates entre ambos em 2008.

Obama ressaltou a capacidade de Hillary Clinton para fazer dos problemas alheios uma "questão pessoal" e a "paixão que sente por ajudar todos os afetados pela discriminação ou pela desigualdade".

O governante afirmou que, em novembro, os eleitores terão que tomar uma decisão sobre apoiar dois projetos "muito diferentes de país", que "nem sequer se tratam de direita ou esquerda".

"Há uma tentativa de se voltar a um passado imaginário, ou brigar pelo futuro", disse em referência ao virtual candidato republicano à presidência, Donald Trump.

De acordo com Obama, em discurso, "não houve um homem ou mulher mais qualificado para ser presidente do que Hillary Clinton, nunca". EFE

rg/vnm

(foto)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos