Repetição de eleições impugnadas na Áustria deve ocorrer em 2 de outubro

Viena, 5 jul (EFE).- O governo da Áustria decidiu nesta terça-feira que a repetição do segundo turno das eleições presidenciais de 22 de maio, canceladas pelo Tribunal Constitucional por irregularidades, vai acontecer em 2 de outubro.

Assim comunicaram o chanceler federal austríaco, Christian Kern, e o vice-chanceler, Reinhard Mitterlehner, após a reunião do conselho de ministros de hoje, informou a agência austríaca "APA".

A data tinha sido proposta horas antes pelo ministro do Interior, Wolfgang Sobotka, e, após ser aprovada pelo gabinete, requer agora a aprovação do parlamento, que espera que seja apenas uma mera formalidade.

Mitterlehner ressaltou a importância da não repetição dos "erros" que levaram o Tribunal Constitucional na sexta-feira a anular o resultado e ordenar a repetição da votação.

"Foram erros meramente técnicos, que poderiam ter sido evitados sem problemas", disse o vice-chanceler, que por outro lado considerou que "seria preciso convidar" a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) a enviar observadores à eleição, não porque a Áustria necessite de sua ajuda, mas porque, espera, poderão certificar a correção do processo eleitoral.

Com sua decisão, os 14 juízes do Constitucional deram a razão ao ultranacionalista Partido Liberal da Áustria (FPÖ) e teu líder, Heinz Christian Strache, que impugnaram o resultado da votação na qual seu candidato, Norbert Hofer, perdeu com 49,65%, contra 50,35% do ecologista Alexander Van der Bellen.

O Alto Tribunal interrogou 90 testemunhas, entre eles representantes regionais e locais de mesas eleitorais de todo o país, muitos dos quais reconheceram que não se tinha cumprida ao pé da letra a lei eleitoral, sobretudo no momento e na forma de contar os votos depositados pelo correio.

Outro fator levado em conta foi o vazamento antes do fechamento das urnas de resultados parciais, especialmente pelos meios de comunicação, desde onde chegaram às redes sociais, o que teoricamente também pode ter afetado a votação.

A taxativa proibição a partir de agora a filtrar esses dados, atrasará previsivelmente a publicação de um cálculo confiável sobre o possível ganhador, como fez a televisão pública "ORF" imediatamente depois do fechamento dos colégios eleitorais às 17h local.

Os observadores políticos esperam que se repita a apertada disputa pela chefia do Estado da Áustria entre o eurocético Hofer e o europeísta convencido Van der Bellen, pois a diferença de votos entre ambos em maio foi de apenas 31 mil votos.

O presidente em fim de mandato do país, Heinz Fischer, deixa o cargo na próxima sexta-feira e suas funções serão assumidas de forma interina pelos três presidentes do parlamento austríaco, entre eles o próprio Hofer (que é o terceiro presidente da câmara).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos