Mulher acusada de adultério é até apedrejada até a morte pelo EI na Síria

Beirute, 6 jul (EFE).- Um mulher foi apedrejada até a morte no nordeste da Síria pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), que a acusou de haver cometido adultério, informou nesta quarta-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A ONG disse que os radicais assassinaram ontem a mulher na cidade de Buqros, no nordeste do país do Oriente Médio.

A vítima era uma deslocada originária do campo de refugiados palestinos de Al Yarmuk, no sul de Damasco, e trabalhava em um hospital de Al Mayadin, reduto principal do EI nesta província que faz fronteira com o Iraque.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos