Ex-premiê australiano admite "erros" que levaram a Guerra do Iraque

Sydney (Austrália), 7 jul (EFE).- O ex-primeiro-ministro da Austrália, John Howard, responsável por seu pais ter participado da Guerra do Iraque, em 2003, admitiu nesta quinta-feira que "erros na inteligência" encaminharam ao conflito armado, após a publicação ontem do relatório britânico "Chilcot" que questiona os motivos da invasão.

Howard, no entanto, garantiu que "não mentiu" e, em seguida, partilhou da opinião de Tony Blair, ex-primeiro-ministro do Reino Unido: "caso contrário o meu governo tinha tomado uma outra abordagem".

"Acho que a decisão de ir à Guerra do Iraque foi justificada naquele momento e não me retrato disso porque pensei que era a decisão correta", ressaltou Howard, em entrevista ao canal australiano "ABC".

No dia 18 de março de 2003, o então presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, pediu formalmente a Howard o envolvimento das tropas australianas na intervenção militar no Iraque, que mais tarde se materializou com o envio de aproximadamente 2 mil soldados.

Ontem, John Chilcot, encarregado de investigar o papel do Reino Unido na invasão do Iraque, revelou em um relatório que o conflito, com o argumento da existência de armas de destruição em massa, se realizou com provas de inteligência "não justificadas" e sem haver esgotado a opção pacífica.

A ministra das Relações Exteriores da Austrália, Julie Bishop, rejeitou que Howard deva se desculpar com a população pela decisão e disse que a medida também contou com o apoio da oposição trabalhista.

Por sua vez, o atual deputado australiano Andrew Wilkie pediu que tanto Howard como o ministro das Relações Exteriores da época, Alexander Downer, sejam responsabilizados pela participação da Austrália na Guerra do Iraque.

Wilkie, cujo apoio pode ser decisivo para a formação de um eventual governo minoritário na Austrália, reivindicou que se abra em seu país uma investigação como a de Chilcot.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos