Família de homem negro morto por policiais pede calma após ataque em Dallas

Washington, 8 jul (EFE).- A família de Alton Sterling, um homem negro morto a tiros por dois policiais brancos na última terça-feira, no estado da Louisiana, nos Estados Unidos, pediu calma após o ataque ocorrido na noite de quinta-feira em Dallas, no Texas, que deixou cinco agentes mortos e outras nove pessoas feridas.

"Os agentes que violam a confiança pública e sua formação não devem ser tomadas como representantes do sistema judiciário do país", disse em comunicado a família da vítima, que morreu após ser baleado à queima-roupa quando já estava caído no chão.

"Responder à violência com mais violência não é uma solução", afirmaram os familiares sobre o caso, já que a morte de Sterling era o principal motivo da manifestação, que começou de forma pacífica na noite de ontem em Dallas e terminou em confronto.

"As forças policiais têm um trabalho muito difícil e a grande maioria se comporta de forma honorável, protegem e servem a nossas comunidades. Independentemente do quão zangados e afetados estejamos, não podemos recorrer a esse tipo de violência. Simplesmente, isso não pode ser tolerado", conclui a nota.

Nos últimos anos, os EUA têm vivido uma onda de protestos por causa da violência policial contra comunidades negras, especialmente após a morte de Michael Brown, em Ferguson, no Missouri, em agosto de 2014, por agentes brancos que posteriormente inocentados pela Justiça de todas as acusações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos