Trump afirma que "há trabalho a fazer" na relação entre polícia e minorias

Washington, 8 jul (EFE).- O provável candidato do Partido Republicano às eleições presidenciais dos Estados Unidos, Donald Trump, louvou nesta sexta-feira o papel da polícia, mas disse que ainda "resta muito trabalho a fazer" em sua relação com as minorias.

Em um vídeo divulgado no final desta tarde, Trump citou pela primeira vez os nomes de Alton Sterling e Philando Castile, os dois negros mortos em ações da polícia que desencadearam o protesto de Dallas (assim como outros em todo o país), durante o qual um franco-atirador disparou contra 12 agentes na quinta-feira, matando cinco deles.

Suas mortes, segundo Trump, mostram "o muito trabalho que nos resta a fazer para que cada americano sinta que sua segurança está protegida".

Trump, que cancelou um evento de campanha que tinha previsto para hoje em Miami (Flórida), qualificou as mortes de Sterling na Louisiana e Castile em Minnesota como "sem sentido" e "trágicas", e sobre o posterior tiroteio em Dallas assegurou que é algo que "comoveu a alma da nação".

"Um ataque brutal contra nossa polícia é um ataque contra nosso país e um ataque contra nossas famílias. Devemos permanecer em solidariedade com as forças da lei, que devemos lembrar que são a fronteira entre a civilização e o caos total", considerou o republicano.

"Todo americano tem o direito de viver em paz e segurança", concluiu o magnata, em um tom muito mais conciliador e menos agressivo que o habitual.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos