Comandante histórico do PKK morre na Síria, segundo agência turca

Istambul, 9 jul (EFE).- Fehman Hussein, mais conhecido como Bahoz Erdal, um dos três comandantes históricos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), morreu em um ataque de uma brigada síria rebelde, informou neste sábado a agência semipública turca "Anadolu".

Segundo a agência, que cita o porta-voz das Brigadas de Tel Hamis, um facção da oposição ao regime de Bashar al Assad, identificado como Khalid al Hasakawi, Hussein foi abatido ontem perto de Qamishli, "capital" da região curda da Síria.

Al Hasakawi detalhou que sua brigada explodiu o veículo de Bahoz Erdal quando se dirigia de Himo a Qamishli, e que pelo menos oito pessoas morreram na explosão.

O porta-voz rebelde justificou a ação por considerar o PKK "um dos mais firmes apoios do regime de Assad".

No entanto, um breve comunicado da agência Firat, que citou fontes do PKK, assegurou horas mais tarde que a notícia é "falsa" e só pretende elevar a moral das forças armadas turcas.

"Os veículos de comunicação turcos informaram nos últimos dez anos centenas de vezes a 'morte' de Bahoz Erdal", acrescentou Firat, próxima à guerrilha curda.

Fehman Hussein, curdo nascido na Síria, era desde 2004 um dos dirigentes do PKK, junto a Cemil Bayik e o atual chefe Murat Karayilan, com quem mantinha sérias diferenças táticas, de acordo com alguns analistas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos