EUA enviarão mais 560 soldados ao Iraque para ajudar na reconquista de Mossul

Bagdá, 11 jul (EFE).- O secretário de Defesa americano, Ashton Carter, anunciou nesta segunda-feira em Bagdá que em breve seu país enviará 560 soldados extras ao Iraque para ajudar às Forças Armadas na reconquista de Mossul, reduto do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) no país.

Em uma coletiva de imprensa, e na frente de membros do Exército americano no Iraque, ele disse que os militares serão enviados à Base Aérea de Qayyarah West. Para o secretário de Defesa, o combate ao terrorismo na região "não deve ser uma luta apenas dos Estados Unidos, do Iraque e da Síria", pois "existe uma coalizão internacional forte por trás".

"Continuaremos observando o que mais podemos fazer para criar e aproveitar oportunidades e acelerar as últimas derrotas do EI", acrescentou.

Conforme um comunicado do Ministério de Defesa do Iraque, durante suas reuniões com os responsáveis do governo iraquiano, Carter prometeu que os "EUA darão todo o apoio necessário para responder às necessidades das forças iraquianas e acelerar as operações de libertação de Mossul". Ele também expressou condolências pelas vítimas do atentado do último dia 3 no centro de Bagdá, que deixou 292 pessoas mortas. Além disso, o secretário americano afirmou que estas operações "criminosas" demonstram a falta de ética por dos grupos terroristas.

"É uma prova que não podem enfrentar às Forças Armadas iraquianas", acrescentou.

Por sua vez, o ministro da Defesa do Iraque, Khalid Al-Obeidi, garantiu que as forças iraquianas já estão em etapas avançadas para libertar Mossul e insistiu na necessidade de mobilizar mais à comunidade internacional para tratar o problema da população deslocada.

As duas partes trataram também da cooperação e coordenação bilaterais e dos mecanismos para desenvolvê-las, sobretudo no âmbito militar, acrescentou o comunicado.

Carter chegou hoje a Bagdá em uma visita surpresa para tratar sobre a luta contra o Estado Islâmico com os responsáveis iraquianos. Sua última visita ao Iraque foi em 18 de abril, quando debateu com o primeiro-ministro Haider Al-Abadi a necessidade de cooperar para cortar as provisões e os contatos que o EI mantém entre a cidade iraquiana de Mossul e a Síria.

Em abril, Carter anunciou em Bagdá que seu país enviaria mais soldados e helicópteros de ataque ao Iraque para apoiar às Forças de Segurança do país na luta contra o EI.

Segundo fontes do Departamento de Defesa americano, o número de soldados adicionais enviados estava em torno de 200. Com isso, o total de militares norte-americanos no Iraque supera os 4 mil.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos