Governo da Áustria aprova desapropriação da casa natal de Hitler

Em Viena

  • Dominic Ebenbichler/ Reuters

    Pedestre passa diante da casa natal do ditador Adolf Hitler, em Braunau, Áustria

    Pedestre passa diante da casa natal do ditador Adolf Hitler, em Braunau, Áustria

O governo da Áustria aprovou nesta terça-feira (12) uma lei para expropriar a casa natal do ditador Adolf Hitler para evitar que se transforme em um local de peregrinação ou um santuário para neonazistas, informou a televisão pública austríaca "ORF".

Trata-se de um edifício na cidade de Braunau, no Estado federado de Alta Áustria, junto à fronteira com a Baviera alemã, no qual Hitler (1889-1945) viveu seus primeiros três anos.

Sua desapropriação põe fim a uma longa batalha judicial com a proprietária, que se negou a vender o imóvel ao Estado e que agora será indenizada.

A decisão tinha sido anunciada em abril e só requer agora de aprovação no parlamento.

Apesar de haver consenso na necessidade de tomar uma decisão que garanta que o local não seja usado para propagar ideias nazistas, não há acordo sobre o futuro da casa onde em 1889 nasceu o ditador.

Desde 1972, o Ministério do Interior a aluga e a subloca à Prefeitura de Braunau por cerca de 5 mil euros mensais.

A casa está sem uso desde 2011. O governo seguiu pagando o aluguel sem conseguir um acordo para decidir se estabelece no local um memorial, se usa como casa ou se derruba o imóvel.

O ministro do Interior, Wolfgang Sobotka, reiterou hoje sua postura a favor de derrubá-la, mas tanto o chanceler federal, Christian Kern, como o vice-chanceler, Reinhold Mitterlehner, se mostraram céticos ao considerar que pode haver problemas porque está sob proteção como patrimônio histórico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos