França anuncia que reforçará sua presença militar no Iraque

Paris, 13 jul (EFE).- O presidente da França, François Hollande, anunciou nesta quarta-feira o envio de mais conselheiros militares ao Iraque para treinar seu exército na luta contra o grupo Estado Islâmico (EI) e antecipou que o porta-aviões "Charles de Gaulle" voltará à região no último trimestre do ano.

"Vamos intensificar a participação do exército para apoiar os iraquianos com a perspectiva de reconquistar Mossul", disse Hollande em Paris em discurso durante uma recepção no Ministério da Defesa por ocasião do Dia da Bastilha, que será lembrado amanhã.

Em relação ao porta-aviões "Charles de Gaulle", Hollande indicou que este fará parte de novo da operação Chammal.

O presidente francês justificou esta nova movimentação para "golpear e destruir" os que cometeram os atentados de Paris no ano passado, que "foram decididos em Al Raqqa (Síria) e em Mossul, no Iraque".

"Nosso dever é golpear e atingir os que decidiram cometer esses crimes abomináveis", acrescentou.

A França tinha começado os bombardeios contra o Estado Islâmico no Iraque em setembro de 2014, ao integrar sua operação Chammal dentro da coalizão internacional contra os jihadistas.

O "Charles de Gaulle" já esteve posicionado na região, como base de operações para seus caças, para atingir alvos no Iraque e na Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos